Portal da Prefeitura de São Paulo Prefeitura de São Paulo
Cena de "O Cão Andaluz", de Luis Buñuel e Salvador Dalí, dá nome à Mostra (Foto: Divulgação)
CINEMA

Filmes que flertam com o surrealismo chegam ao CCSP

Mostra “Navalha no Olho: o exercício do olhar no cinema surrealista” exibe seleção entre os dias 6 e 13 de abril

Um homem corta ao meio o olho de uma mulher enquanto ela encara a câmera. Essa é a imagem mais famosa do curta-metragem O Cão Andaluz, escrito e dirigido a quatro mãos pelo cineasta Luis Buñuel e pelo pintor surrealista Salvador Dalí. A célebre sequência dá nome à mostra Navalha no Olho: o exercício do olhar no cinema surrealista, que fica em cartaz entre os dias 6 e 13 de abril no Centro Cultural São Paulo (CCSP).

O curador Claudio Willer destaca a dimensão onírica dos filmes que flertam com o surrealismo. Entretanto, apesar dessa afinidade com o sonho ser um ponto em comum, não existe uma forma ou estilo dito surrealista. “A relação é bilateral, o surrealismo está na obra e na sensibilidade de quem a aprecia”, completa Willer, que é poeta e autor de A Verdadeira História do Século XX (Córrego). Para o curador, o cinema é, em sua essência, uma arte surrealista. “Mesmo os filmes que narram uma história no modo discursivo, com começo, meio e fim, têm algo de sonhos projetados em uma tela”, explica.

A mostra traz quatro obras de Luis Buñuel, cineasta mexicano considerado o maior nome do cinema surrealista dos anos 1920: os seus primeiros curtas, A Idade do Ouro e Um Cão Andaluz; e dois de seus mais célebres filmes dos anos 1960, A Bela da Tarde, com Catherine Deneuve, e Via Láctea ou O estranho caminho de São Tiago. No dia 13, após a exibição de A Bela da Tarde, acontece uma palestra com Willer.

Além de Buñuel, outros cineastas têm suas obras exibidas. Criador da série Twin Peaks, David Lynch está presente com Cidade dos Sonhos e Veludo Azul. Outro cineasta contemporâneo, o chileno Alejandro Jodorowsky é representado pelo filme Poesia Sem Fim, com tons autobiográficos. Entre os mais clássicos, está O expresso de Shangai, dirigido por Josef Von Sternberg e estrelado por Marlene Dietrich, e Amor Sem Fim, de Henry Hathaway.

Por Gabriel Fabri

Confira a programação completa em: http://centrocultural.sp.gov.br/site/eventos/evento/navalha-no-olho/