Portal da Prefeitura de São Paulo Prefeitura de São Paulo
Durante a apresentação, além de cantar, Danello interage com o público, contando um pouco de sua vida e da história de cada música (Foto: Divulgação)
MÚSICA

Dick Danello leva o show “Rock Italiano” à Sala Olido

Apresentação única acontece no dia 3 de fevereiro

Nos anos 60, sempre que Roberto Carlos chamava o “italianíssimo” ao palco do programa Jovem Guarda, na TV Record, a plateia aplaudia com entusiasmo. O Rei se referia ao cantor Dick Danello, que interpretava, em ritmo de rock’n’roll, famosas músicas italianas, além de lançamentos do tradicional Festival de Sanremo.

Nascido na Calábria (Itália), mas radicado desde a adolescência no Brasil, o cantor tem hoje mais de 50 anos de carreira. No sábado, dia 3, Danello apresenta na Sala Olido, Rock Italiano, show nos mesmos moldes que o consagrou na Jovem Guarda. A atração faz parte do projeto 70+, que valoriza artistas veteranos em plena atividade.

Como vinho tinto

“Dizem que sou como vinho tinto, quanto mais velho, melhor”, afirma o cantor. “E é realmente como me sinto, pois minha voz é a mesma e tenho a mesma disposição. Talvez porque sempre tive uma vida profissional muito ativa”.

Para a apresentação de Rock Italiano, Danello buscou instrumentistas que, além de amigos, fossem afinados com sua maneira de cantar. Assim, convidou para acompanhá-lo o guitarrista Caverna, o baixista Jorge Potalej, o tecladista Marcelo Loureiro e o baterista João Guilherme.

O cantor afirma que muitas músicas italianas, principalmente as mais modernas, tem um quê de rock. “É claro que eu enfatizo essa característica. No show, canto alguns lançamentos atuais, mas não posso deixar de interpretar os clássicos de sempre, como “Roberta e Torneró”, sucesso na voz de Peppino di Capri; Canzone per Te, de Sergio Endrigo; e Volare, de Domenico Modugno.

50 anos de carreira

Durante a apresentação, além de cantar, Danello interage com o público, contando um pouco de sua vida e da história de cada música. “Gosto de falar do tempo da Jovem Guarda, quando cantava ao lado de Vanderley Cardoso e Jerry Adriani, por exemplo. Lembro como formei minha própria gravadora, além das atuações em filmes que participei, ao lado de Renato Aragão, Dedé Santana e David Cardoso; e na ópera rock Jesus Christ Superstar”. Como músico, compôs a canção-tema de Sinal Vermelho – As Fêmeas (1972), de Fauzi Mansur, longa que marcou a estreia de Vera Fischer no cinema; e fez a pesquisa para a trilha sonora de Terra Nostra, novela da TV Globo (1990). “Ainda em relação à música italiana, durante anos divulguei no Brasil os sucessos do Festival de Sanremo e tive, por mais de três décadas, o programa de rádio Parlando de Amore.”

Em 2017, quando completou 50 anos de carreira, Danello lançou a autobiografia Grazie Musica (editora Chiado). Escrita por Rafael Spaca e Giancarlo D’Anello, a obra tem prefácio assinado por Ignácio de Loyola Brandão.

Por Gilberto De Nichile

Dick Danello

Livre Grátis

Local

Dia 3 de fevereiro de 2018 às 19:00

Publicado por

Secretaria Municipal de Cultura
Mais informações